Super Team

Calendario 2015

Outros eventos utilizando o nome do Karate Tradicional não são oficiais da CBKT e nem da ITKF, portanto não nos responsabilizamos pelos mesmos.

Resultados

Campeonato Sul Sudeste 2013 e Campeonato Norte Nordeste 2013

Mundial 2012

Confira aqui os excelentes resultados da delegação do Brasil

20 vezes Campeã Brasileira de Karatê Tradicional


Adairce Castanhetti. Nome conhecido e reconhecido do karate brasileiro.

Também pudera! São 26 anos de prática, muitos títulos importantes, tanto nacionais quanto internacionais. E este ano, Adairce chegou a uma marca especial: ela conquistou seu 20o título brasileiro na categoria Kata Individual Feminino Adulto.

 

A atleta que presenciou as tantas mudanças no karatê brasileiro representa o sucesso que a disciplina e a dedicação trazem quando aplicadas ao caminho que escolhemos.

 

Nesta entrevista, você fica sabendo um pouco mais da trajetória de Adairce Castanhetti

 

 

P. Você se lembra do seu primeiro título brasileiro? Se sim, o que mais te marcou nele?

R. Lembro. Foi em São Paulo em 1992. O que marcou foi a vitória sobre eu mesma, tive de lutar contra meus próprios defeitos para conseguir atingir meu objetivo.

 

P. Durante esse tempo, o que mais te marcou no karatê brasileiro?

R. As pequenas mudanças que foram ocorrendo com o passar do tempo. Como:

a) A conquista do respeito pelo karatê das mulheres, algo que não ocorria, principalmente por parte dos mestres que não acreditavam e não viam com bons olhos mulheres competindo. E isto já começou a mudar quando, em 1992, no mundial do Canadá, conquistamos o 3º lugar no Kata Equipe feminino e depois disso veio a conquista do 1º lugar no Mundial da Itália/1994, tanto no Kata Equipe, quanto no Fuku-Go.

b) A preocupação de vários professores em melhorar o nível do karatê tradicional em todos os aspectos para que o mesmo não se tornasse apenas competição e sim um instrumento para contribuir na formação, saúde e equilíbrio do ser humano.

 

P. Falando de competições internacionais, quantos títulos você tem? Quais?

R. Tenho estes como principais:

CAMPEONATOS BRASILEIROS

20 vezes 1º lugar em Kata Individual - de 1992 a 2011

CAMPEONATOS MUNDIAIS

3º lugar – Curitiba/Paraná/2010 – Enbu Misto e Kata Equipe

3º lugar – Vilnius/Lituânia/2008 – Enbu Misto

3º lugar – Saskatoon/Canadá/2006 – Enbu Misto

4º lugar – Davos/Suíça/2004 – Kata Individual

3º lugar – Bologna/Itália/2000 – Kata Individual

4º lugar – Bologna/Itália/2000 – Kata Equipe

3º lugar – Varsóvia/Polônia/1998 – Kata Individual

3º lugar – São Paulo/Brasil/1996 – Kata Individual

1º lugar – Copa Mundial - Summer Cup – San Diego-EUA/1996 - Kata Individual

1º lugar – Treviso/Itália/1994 – Kata Equipe

3º lugar – Montreal/Canadá/1992  - Kata Equipe

CAMPEONATOS PANAMERICANOS

1º lugar – Cuiabá/Brasil/2009 - Kata Individual e Kata Equipe

1º lugar – Lima/Peru/2007 - Kata Individual, Kata Equipe e Enbu Misto

1º lugar – Goiânia/Brasil/2003 - Kata Individual e Kata equipe

1º lugar – Santiago/Chile/2001 - Kata Equipe

1º lugar – Winnipeg/Canadá/1999 - Kata Individual e Kata Equipe

1º lugar – Bogotá/Colômbia/1997 - Kata Individual

2º lugar – Buenos Aires/Argentina/1995 - Kata Individual

1º lugar – Mayaguez/Porto Rico/1993 - Kata Equipe

3º lugar – Mayaguez/Porto Rico/1993 - Kata Individual

 

 

P. Tem algum titulo (nacional ou internacional) que guarda com mais carinho?

R. Não. Todos tem sua importância.  Até chegar a cada um deles existe muita história. Uma história de lutas sendo vencidas a cada dia um pouquinho, lutas internas e externas, medos, angustias, dores, desilusões, tudo gerado quando você decide tomar um caminho e percorrê-lo, pensando em crescimento, em evolução.

 

P. Algum dia já pensou em parar de competir (me refiro a todo o tempo que você pratica karatê)? Por quê?

R. Não, não pensei nisto. Ao contrário, pessoas de fora é que muitas vezes fizeram pressão para isto, porém eu aprendi a competir para me avaliar, para fazer meu karatê crescer, para vencer meus medos, minhas inseguranças. Portanto posso dizer que com a competição eu só evoluí e sei que ainda tenho muito que evoluir e aprender.

 

P. O que o karatê representa para você?

R. Para mim representa "evolução". Eu coloquei os treinamentos como parte do meu dia a dia, não como uma obrigação, mas como algo prazeroso, que me tornou uma pessoa mais segura, fortaleceu meu corpo e minha mente, me fez ver com mais clareza o que acontece a minha volta, canalizou minhas energias e me deu mais garra para vencer os obstáculos.

 

P.. Mesmo tendo tantos títulos, você ainda sente frio na barriga antes de alguma competição? O que uma competição representa?

R. Sim, apesar de competir a muito tempo cada nova competição representa um desafio... O frio na barriga já não é o mesmo, está mais controlado, porém ainda está lá. Mas ele acaba totalmente no momento em que seu nome é chamado e os pés tocam o Dojo, este momento é único, é como se uma luz muito forte (como uma chama) entrasse pelos seus pés, você já não sente mais nada ao seu redor.

A competição representa “avaliação”. Não deixo para me preparar de acordo com um calendário de competições. Mesmo praticando sempre, evito fazer movimentos mecânicos. Procuro estudar cada pequeno gesto sem perder a essência e buscar a eficiência real de cada golpe.

 

P. Para finalizar, deixe um recado para os karatecas.

R. Lembrar sempre que dedicação, estudo e fé caminham juntos e são a chave para a conquista de nossos sonhos ou ideais em qualquer área das nossas vidas. Quando escolherem um caminho, que o sigam com coragem, com determinação e com AMOR, focando toda a energia nele, agindo com honestidade para consigo e para com os outros, analisando a cada fim do dia se conseguiram progredir em direção a ele.

Lembrar que a disciplina, a ética, a gratidão e a CONFIANÇA, são valores que devem estar sempre presentes nos seus treinamentos e em suas vidas.  E, nunca esquecer que CONFIAR em você é importante, porém CONFIAR no seu TÉCNICO é VITAL.